Fraldas… mais um atentado ambiental

Quem tem bebés em casa conhece bem a problemática do uso de fraldas.

Há várias no mercado, sendo que as mais usadas ainda são as descartáveis. Os bebés, por dia, podem usar por volta de 8 fraldas, sendo que há dias em que se gastam mais e outros menos.

Quem tem filhos sabe que o saco do lixo indiferenciado fica rapidamente cheio com este tipo de resíduo, não reciclável e tão danoso para o ambiente. Estima-se que cada fralda descartável possa demorar cerca de 400 anos a decompor-se, o que significa que a primeira fralda que se usou ainda por cá está e irá continuar por longos anos. Isso somado à quantidade de fraldas que se gastam por dia, em cada bebé, no mundo… é completamente aterrorizador.

Com grande pena minha, do meu primeiro filho usei fraldas deste tipo e partilho que me custava imenso a quantidade de lixo que produzia diariamente.

Quando engravidei pela segunda vez decidi logo que queria usar fraldas reutilizáveis e dediquei “algum” tempo a investigar o que havia e quais as vantagens. Prontamente percebi, que há imensa oferta de fraldas reutilizáveis. Há várias marcas, tipos, feitios e diferentes preços. Li bastante, perguntei a quem já usava, fui a lojas físicas para perceber melhor como funcionavam e acabei por comprar algumas.

Sem dúvida que na decisão por este tipo de fraldas, a questão ambiental prevaleceu mas também foi tida em conta a questão da saúde e a económica.

Um estudo realizado pela Quercus aponta para uma poupança de 500€ por bebé, valor esse que seria superior no caso de utilização das mesmas fraldas reutilizáveis num segundo filho.

Esse estudo estima também que a utilização de fraldas reutilizáveis levaria à diminuição de cerca de 40 mil toneladas de lixo por ano, em Portugal.

As fraldas reutilizáveis são uma versão ultra moderna das fraldas de pano que se usavam com alfinetes de ama super afiados, há alguns anos. Agora têm materiais diferentes e diferentes tipos de fechos. Há fraldas para todos de bebés, gostos e bolsos dos pais.

Nós, depois de ponderar bastante, compramos as que nos pareceram mais práticas e de certo modo mais similares às descartáveis, que tanto usamos no nosso filho mais velho. Optamos por algumas do tipo “de bolso” e outras “tudo em 1”.

Para quem vai começar esta jornada aviso já que há padrões lindos e apetece comprar uma para cada vestidinho ou roupinha que temos 😉

As Fraldas de bolso são adaptáveis e ajustam-se perfeitamente aos bebés entre os 3 e os 16 Kg. O interior da fralda, que fica em contacto com a pele do bebé é muito suave e mantém a pele seca. Normalmente trazem 2 absorventes, que podem ser feitos de vários materiais e que podem ser usados em conjunto, para maior absorção, ou usado apenas 1. O interior está cosido na camada impermeável formando um bolso onde se colocam os absorventes.

A grande vantagem destas é o facto de se poder aumentar a capacidade de absorção à medida que o bebé cresce e faz maior quantidade de xixi, aumentando o número que absorventes que se colocam na fralda. Outra vantagem é a de se poder usar absorventes de outras marcas, que pertençam ou não, aquela fralda específica, o que é óptimo porque estes demoram muito tempo a secar e tendo vários podemos ir usando e termos sempre fraldas disponíveis. São de longe as minhas favoritas!

As fraldas tudo em 1, têm o absorvente preso à camada externa impermeável, formando um peça única. Poderão ser mais práticas na hora de as montar para usar mas demoram muito mais tempo a secar e a estar disponíveis para o bebé.

Para além destas, há também as fraldas ajustadas, as pré-dobradas ou musselinas e as fraldas de capa. Estas últimas são mais idênticas às que se usavam antigamente mas prendem-se com uma versão moderna do alfinete de ama, ou snappi e precisam de uma fralda de capa. Nunca usei destas porque me pareceram mais complicadas.

Como em tudo o resto, também nesta temática sou flexível e há situações em que continuo a usar fraldas descartáveis. Se é o ideal? Não. Mas também temos que saber descomplicar e há momentos onde, para mim, não faz muito sentido andar com um saco de fraldas cheias de xixi ou cocó. Uma dessas situações são as viagens e saídas prolongadas. Prefiro, nestes casos, usar uma fralda descartável biodegradável, que nem são assim tão caras e, tendo que mudar, posso pôr no lixo. Outra das situações em que não usei estas fraldas foi no primeiro mês de vida. A minha vida já estava tão cheia de coisas para fazer, com tanta falta de descanso, com o mais velho a precisar de toda a minha atenção que optei por começar a usá-las apenas quando comecei a entrar no esquema da nova vida a 4.

Estou super feliz com a decisão e acho que o dinheiro que gastei já foi amortizado há muito! São mesmo fáceis de usar e não custa nada a lavar… a máquina de lavar trata de tudo. Pena não ter percebido isso mais cedo 😉

E por aí? Usam ou já usaram fraldas reutilizáveis nos vossos bebés? Contem-me tudo!!!

Até breve!

 

 

8 comentários em “Fraldas… mais um atentado ambiental”

  1. Olá Marta,
    Tenho uma bebé, ale fiz como tu no.primeiro mês usei descartáveis mas das biodegradáveis, de bambu, mas depois comecei a usar fraldas reutilizáveis, no meu caso usei as de pano e a capa, por uma questão de dinheiro e por não entender muito bem como funcionam as outras, mesmo assim ainda comprei uma de bolso e uma pop in, mas como tinha de pôr tudo para lavar achei mais prático mudar a fralda de pano e a capa ser a mesma..não sei se me fiz entender. E quando saiu uso as mesmas descartáveis e à noite tb. Sinto me muito bem a usar fraldas reutilizáveis e gostava de ainda perceber melhor, não conheço ninguém que use para falar sobre isso.
    Beijinhos e boa continuação

  2. Olá Marta! Uso fraldas reutilizáveis desde o 3° dia de vida da Leonor e não as troco por nada deste mundo! Mesmo em viagem levo as reutilizáveis e só quando estas acabam e não tenho mesmo possibilidade de as lavar é que uso descartáveis! As fraldas reutilizáveis só trazem vantagens!!

    1. Olá Marta!
      Que bom!! Eu só tenho pena de não as ter conhecido mais cedo mas sem dúvida que são uma excelente alternativa a um dos produtos mais poluidores que as famílias com bebes produzem!
      Bjinhos e obrigada!!

  3. Boa… acho óptimo e é o que quero fazer quando a bebé nascer. Ainda não pesquisei marcas nem nada disso pois ainda faltam uns meses e não tenho experiência anterior… É o primeiro bebé!
    Não tinha noção que essas bamboo eram biodegradaveis. Vou certamente ter sempre um pacotinho à mão para aquelas eventualidades em que não dá para usar as outras e para os primeiros dias na maternidade (duvido que estejam com paciência para as reutilizáveis no hospital).
    Ainda bem que há cada vez mais pessoas a optar por estas fraldas!
    Também gostava de arranjar material de bebé mais eco-friendly (estilo pratos, garfos, brinquedos. ..)
    Vou agr ver o resto do blog que não conheço! 😉

    1. Olá Locas!
      Antes de mais muitos parabéns pelo bebé que está para chegar. É o desafio mais lindo por que passei 😉
      Felizmente já há imensas opções eco friendly para os nossos bebes e as fraldas não dão excepção!!
      Se precisar de algo por favor contacte
      Bjinhos e tudo de bom!
      Obrigada

  4. Ainda bem que há cada vez mais mamãs a aderirem às fraldas reutilizáveis. Sou uma mamã de uma menina e um menino, na qual usei e ainda uso estas fraldas. Experimentei várias marcas e modelos e acabei mesmo por criar uma marca portuguesa de fraldas reutilizáveis para bebé de acordo com 4 anos de experiência, muita pesquisa e opiniões de outras mamãs. O blog está de parabéns pela divulgação da ideia. Só queria dizer que também há fraldas reutilizáveis feitas em Portugal: Kings of my Castle.

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.