O Respeito pelo Ambiente e a Liberdade

A (minha) Liberdade

Nasci passado 1/2 dúzia de anos do dia que marcou a história de Portugal, a Revolução dos Cravos.

Cresci a ouvir os meus pais falar sobre este dia e com o sentido de Liberdade muito presente no meu espírito. A minha liberdade, a dos outros e a do ecossistema.

Para mim a Liberdade está intrinsecamente relacionada com o Respeito, pois se não houver Respeito a Liberdade não fica alcançável.

Desde muito nova que prezo imenso a minha Liberdade. Venho de uma família super unida e muito próxima e felizmente tenho uma relação excelente com os meus pais e irmão.

Não há dia, mesmo tendo saído de casa dos meus pais aos 18 anos, que não fale com a minha mãe (por vezes até várias vezes), mas é curioso perceber que ela me deu uma enorme Liberdade, desde sempre, por forma a eu poder construir-me enquanto ser independente.

Comecei a sair, a viajar, a explorar, a conhecer, a ir… muito cedo. Sempre com o consentimento dos meus pais, que confiavam em mim. Em troca exigiam que eu tivesse Respeito, por mim, por eles, pelos outros, pelo mundo e pelo planeta.

Soube assim, desde cedo, que apenas teria Liberdade se tivesse Respeito.

Aprendi, enriqueci, conheci, senti e cresci. Construí a minha vida e vivo-a com uma enorme sede de provar e sentir tudo o que a Liberdade me permite.

O Respeito pelo Ambiente

Não é novidade para ninguém que amo a Natureza e o quanto esta me faz sentir bem, plena e livre. Para conseguir estar bem e conectada com a Natureza devo-lhe Respeito e sinto que devo tentar tudo para a preservar!

Ao longo da minha vida já tive contacto com tanto desrespeito pelo ambiente que condicionou as minhas acções.

Em quantos rios eu tive que deixar de tomar banho no Verão? E mesmo no mar, quantas vezes não entrei nele porque havia espuma estranha, manchas duvidosas e pedaços de plástico no mar? E querer estender a toalha e ter beatas e lixo na areia? E montes onde costumava ir passear e que, de um dia para o outro, deixaram de ter árvores para futuramente dar lugar a prédios? E fazer caminhadas na montanha e encontrar lixeiras clandestinas, restos de picnics ou lixo de quem por lá acampou?

Todos estes exemplos (e tantas outros) interferem com a minha Liberdade!

Para ser livre preciso de estar em comunhão com a Natureza e esta, também ela, tem que ser livre! Quem somos nós, humanos, para a debilitarmos tanto? E a troco de quê?

Haja Respeito e todos teremos a nossa Liberdade!

2 comentários em “O Respeito pelo Ambiente e a Liberdade”

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.